Givebellabacktohermother

Tradução em  Português abaixo.                                                                Hello Everyone, I would like to share the story of Monica, A desperate mother fighting in the US for the right to be a Mother to her little girl.
Monica is from Brazil and in 2015 came to the US as a visitor. Soon after arriving she met a friendly guy with whom she started dating and he asked her to marry him.
That relationship resulted in a pregnancy and although unplanned Monica was overjoyed with the news of becoming a Mother.
However, the father was not pleased with Monica’s decision of having the baby and their relationship started to go downhill.
The baby’s father suddenly changed his behavior and started to emotionally, psychologically, physically, and sexually abuse Monica, from the very beginning of her pregnancy.
The first time that the father physically abuse her  , he threw her phone in the toilet in an attempt to alienate and keeping her from reaching out for help.
As a result of it, Mônica didn’t showed up at the schedule emergency visit to see the doctor on the very next day after the first abuse occurred.
Her passport disappeared and she was told that if she wanted to return to Brasil she would have to agree to an abortion before leaving the US because the father feared she could ask for child support after the baby was born.
Like many domestic violence victims, she felt fearful, intimidated, hopeless.
Monica kept quite because she feared his threats, and she didn’t have any knowledges about laws in NY.
Soon after her baby was born, Monica was physically abused again and at this time she managed to call 911 to get help.
The police officer went to the house and took a statement from the paternal grandmother and baby’s father and they accused Monica to be the abuser, since she was unable to communicate in English.
She couldn’t give her side of the story. As a result She was escorted out of that house and handcuffed.
That's when  Monica lost temporary custody of her daughter who was 1 month old and brestfeeding.
The Father went to the Family Court in NY and showed them the police report that he got against Mônica, and asked for an Order of protection for him and for the baby girl, alleging that he was a victim of domestic violence and that she had mental problem and he was afraid to leave the baby with her.
He didn’t stop threats even after that, he threatened to call the police on her again, if she would go to see and breastfeed the baby.
Mônica , did not received the paper work issued from Court allowing her to go in their house. The Court had ordered, but Mônica wasn’t able to proof the court had order it to the officers.
The Baby’s father kept abusing her mentally and making her doubts ability to be a mother. Mônica went in jail twice because he twisted around the truth again. After many false allegations against Mônica and after many arraignments, Mônica felt she was treated unfairly by the Court System, and that her rights to be a mother to her baby was taken from her.
Mônica just was given supervised visits in a clinic in which she was told in the Order that she could not feed or give anything to drink , she could not change the baby’s diapers, and to make things worse at the last order, she was forbidden to bring toys, take pictures, and change the baby’s clothes. And also she could not bring anyone with her. 
We should worried about the irreparable traumas in a such young girl as her daughter.

Therefore, after many false accusations, misunderstandings of court procedures, poor communication with lawyers and 20 months later she still doesn’t have her daughter.

Even though there is a court order for her to have supervised visits with her baby girl, the baby’s father no longer agreed with the supervisors and places where Mônica can go to visit her daughter.
The father is clearly denying his daughter to get a relationship with her mother.
She has not seen her baby in over 2 months.
Monica is working 16 hours a day to pay for all the legal fees, and to proof that she is a victim and be a mother to this little girl she was blessed with.
She will never give up on her child and will fight for her daughter everyday of her life but she cannot do it alone anymore.
We are asking you to please find in your heart to understand the pain and hardship this young mother is going through. She cannot and will not give up on her baby but to keep the fight she needs our help to pay for legal fees. Every second many woman are victims of domestic abuse, and we assume that many woman are at the same position of Mônica. No one can imagine the painful journey for a mother to be separated to her daughter.
Any amount will be appreciated and hopefully Mother and  daughter will finally be reunited. 

The world is full of good people, if you can't  find one be one"
Mother Teresa






Olá a todos,

Eu gostaria de compartilhar a história de Monica, uma mãe desesperada lutando nos EUA pelo direito de ser mãe para sua pequena bebe.

Monica é Brasileira, de Salvador, Ba,  e em 2015 chegou aos EUA como visitante. Logo depois de chegar, conheceu um cara amigável com quem ela começou a namorar e ele pediu em casamento.

Essa relação resultou em uma gravidez e, embora Monica não tenha planejado, se emocionou com a noticia da gravidez.

No entanto, o pai não estava satisfeito com a decisão de Monica de ter o bebê e seu relacionamento começou a se tornar drásticamente abusvivo. O pai do bebê de repente mudou de comportamento e começou a abusar físicamente, emocionalmente, psicologicamente,  e sexualmente, desde o início da gravidez. Apos o primeiro abuso fisico, ele jogou seu telefone no vaso sanitário, com intuito de  aliená-la e dete-la de pedir ajuda. Como resultado, Mônica não apareceu na consulta de emergência para ver o médico no dia seguinte ao primeiro abuso ocorrido.

Seu passaporte foi escondido e se ela quisesse voltar para o Brasil, ele so o devolvería se ela concordasse com um aborto antes de deixar os EUA porque o pai temia que ela pudesse pedir pensao para criança depois que o bebê nascesse.

Como muitas vítimas de violência doméstica, sentiu medo, intimidada, sem esperança. Monica manteve-se bastante temerosa às suas ameaças, e não conseguiu voltar ao Brasil, e além disso, recem chegada,  não tinha nenhum conhecimento sobre as  leis em NY tambem. 

Logo que sua bebê nasceu, Monica foi abusada fisicamente novamente e, nesse momento, conseguiu ligar novamente para o 911 para obter ajuda.

O agentes da polícia foram à casa e tomaram as declaraçoes da avó paterna e do pai da bebê e eles acusaram Monica de ser a culpada. Já que não conseguiu se comunicar em inglês, então não podia dar o lado da versão dela, o pior aconteceu. Depois disso, ela foi escoltada para fora daquela casa, algemada e presa.  Quando isso  ocorreu,  Monica perdeu a custódia temporária de sua filha que tinha 1 mês de idade. A bebe exclusivamente se alimentava de leite materno. Por quê  isso aconteceu? O pai da bebê foi a Vara de Família em NY, enquanto Monica estava presa, E mostrou-lhes o boletim de ocorrencia da polícia que ele fez contra Mônica. Ele pediu uma Ordem de proteção para ele e para a bebe recem nascida alegando que ele era vítima de violência doméstica e que ela tinha problemas mentais e ele tinha medo de deixar a bebê com a mae dela. Ele não parou por aí.  Seguiu com ameaças de chamar a polícia para Monica ir presa novamente, se ela fosse ver e amamentar a sua bebezinha. Mônica não recebeu uma  Ordem por escrito, que deveria ser emitido pelo Tribunal, que permitiria que ela fosse na casa do pai para amentantar a sua filha com seguranca . O tribunal verbalizou uma ordem de visitas temporarias para mae e filha, porem Mônica não conseguiria comprovar aos oficiais de policía, porque não havia sido feita pela Vara de família que cuidava daquele caso. 

O pai da bebê seguiu abusando-a mentalmente e colocando em duvida a capacidade dela de ser mãe. Infelizmente, Mônica foi presa pela segunda vez, porque ele apresentou falsas alegações novamente.                Por isso que após  muitas alegações falsas contra Mônica sem nenhum embasamento comprobatório legal, Mônica sofre sofre pressão  e é tratada injustamente pelo Tribunal de Justiça do estado de NY. Além disso sente que está sendo ferido o seu direito de ser mãe.  Após muitas audiências e perdas consideráveis, Mônica apenas recebeu o direito a visitas supervisionadas e pagas em uma clínica. A Ordem dizia que Monica não podia alimentar nem dar nada para beber, não podia mudar as fraldas da sua propia filha e, para piorar a situacao ainda mais, na última Ordem realizada em Setembro de 2017, ela esta proibida para levar brinquedos, tirar fotos e mudar a roupa do bebê. E também não pode levar niguém com ela.

Já basta tamanho sofrimento para ambas, mae e filha, devemos nos preocupar com os traumas irreparáveis de uma crianca de menos de 2 aninos de idade que nao pode sequer defender-se.

Em verdade, após muitas acusações falsas, mal-entendidos de procedimentos judiciais, má comunicação com advogados  , varias tentativas de defesa da Monica e apresentação de documentos legais que não são aceitos pela corte, e apos 20 meses de luta ardua, ela ainda não tem sua filha.

No momento existe uma ordem judicial de visitas provisorias até que o caso se encerre. Porem, as visitas supervisionadas com sua filha, estao sendo negadas pelo pai da bebê, que não concorda com os supervisores e lugares onde Mônica pode ir visitar a sua filha, e além disso é rejeitada pela própria juíza do caso.  O pai da bebê claramente está negando a sua filha de ter um relacionamento de amor com sua mãe. Ela não ve sua filhinha ha mais de 2 meses.

Monica está trabalhando 16 horas por dia para pagar todas as taxas legais, e para provar que ela é inocente e poder ter o direito de realizar o seu papel de mae com sua propia filha.

Ela nunca vai desistir de sua filha e vai lutar por sua ela todos os dias da sua vida, mas ela não pode mais fazer isso sozinha.

Estamos pedindo para você de coração possa entender a dor e as dificuldades que essa jovem mãe está passando. Ela não pode e não vai desistir de sua bebê, mas para manter a luta, ela precisa da nossa ajuda para pagar as taxas legais, que sao altissimas. A cada segundo, muitas mulheres são vítimas de abuso doméstico em todo o mundo, e nos presumimos que existem muitas mulheres na mesma posição da Mônica. Ninguém pode imaginar a dolorosa e desumana jornada para uma mãe que esta separada de sua filha. <3

"O Mundo esta cheio de pessoas boas se voce nao pode achar uma, seja uma"
Mother Teresa
  • Anonymous 
    • $20 
    • 21 mos
  • Gilberto souza  
    • $50 
    • 32 mos
  • Juliana Elias 
    • $10 
    • 37 mos
  • Camila Chamadoira  
    • $20 
    • 39 mos
  • Cíntia JJ 
    • $20 
    • 40 mos
See all

Organizer and beneficiary

Bella willard 
Organizer
Hurricane, UT
Denise Pitts 
Beneficiary
  • #1 fundraising platform

    More people start fundraisers on GoFundMe than on any other platform. Learn more

  • GoFundMe Guarantee

    In the rare case something isn’t right, we will work with you to determine if misuse occurred. Learn more

  • Expert advice, 24/7

    Contact us with your questions and we’ll answer, day or night. Learn more