Marilú Mapengo Námoda for DAI

EN I PT

Dear friends,
Dear world,

My name is Marilú Mapengo Námoda I am a mozambican  feminist activist and artist. I was admitted for a MA program at DAI Art Praxis - ArtEZ University of the Arts in Netherlands and "surprisely" I couldn't find scholarships that support Art studies. So here I ask for your financial support to make it possible and also to reaffirm together to the world how essential art is for the well being of any society.  

Since April I found myself in an infinite saga looking for a scholarship. Yes, there are many scholarships/loans available for african students but they are basically oriented for the Development Agenda kind of courses (Economics, oil and gas, public health...). In other words, the concept of Development that embroils the West-Africa- West political relations don't consider Art as a worth investing area! So, at this point I have officially less than a month - until 31st of May - to pay the amount of € 22.116 for my studies. NOTE: The deadline is now 31 of August 

This total required amount is distributed in the following way:
-  € 10’770 -  for the ArtEZ institutional tuition fees for non-EU/EEA 2020-2021. Due to a government enforcement this amount was recently raised by 40%. We as DAI students are fighting against the raise of the tuition fees for non-EU students and stand with us against this measure by signing our petition here: http://chng.it/LVTDcnTvnT 

 - The amount of  € 11’346 - is for the costs of registration in the Netherlands & visa applications as a financial guarantee that is required to prove to the migration system that I can support myself financially in the Netherlands for the upcoming academic year. 

Friends, it is 2020 and the education is still a privilege designed for few. I am intending to study and for that I end up facing a whole architecture of injustice where I had to extensively search for scholarships, extensively contact institutions that supposedly support artists / women - so far some didn't even reply and others gave me that empty institutional kind of response. And then finally I am here after almost 2 months developing some fundraising skills! Well, I am exhausted! 

As african there is a historical relation with the idea of being "helped" and this ties many layers into this action. The oppression makes us feel guilty for needing help and worried to not reproduce the stereotype when at the same time I find myself really needing for support. To be here now writing to you in such a vulnerable position feels like touching simultaneously the polarities of trauma and cure, exhaustion and relief... I had to remember that the stereotype actually exists because indeed there is an impoverishment political project in place. I am not "bothering" people because I am poor. I am questioning and visibilising oppressive structures that reproduce poverty as a "punishment" for certain bodies and that indeed bothers. The global wealth is poorly and unfairly distributed and quality educational institutions are designed to exclude non-white, non-european, non-male, non-heterossexual bodies.

This fundraising campaign went through different formats/stages according to my discomfort of being in such a position. At some point I was even taking it as loans and I promised to refund any (individual/institution) who would trust me this loan. But today I regret that because I have accepted that as everyone does I deserve to study and chill. I wouldn't like to put myself in a situation where I MUST work hard to pay everyone while also studying. YES! I do deserve to rest, my body, my dearest black female body deserves rest. And I already pushed more than enough of my physical and emotional boundaries in this process. In fact, I have gone too far to give up now, I have proven talent and potential through the admission process so it's not acceptable to miss this opportunity for financial reasons.  

So, please support only if you believe in this cause and want to fight with me. I count on you all to make it happen!  I am sorry for sending such a request in the current global context but just can't postpone this opportunity. And please, be conscious that each coin is valuable.

Finally I deeply would like to thank all friends from Mozambique and abroad who have been immensely supportive through this hard but beautiful process as well! I can't nominate you all but, you know, lots and lots of love. Also want to thanks the organisations that have at least replied my emails especially to the DAI program people who have been actively participating through this journey.

 
PS: This Campaign is hosted in a Swiss bank account.

Sincerely,
Marilú Mapengo Námoda

26/05/2020
Maputo, Moçambique

Photo: Caroline Lima

PT _________________

CarXs amigXs e Mundo,

O meu nome é Marilú Mapengo Námoda,  activista feminista e artista moçambicana. Eu fui admitida para o programa de Mestrado da DAI Art Praxis - Universidade de Artes ArtEZ na Holanda e "surpreendentemente" não consegui encontrar nenhuma bolsa que apoie estudos em Artes. Portanto, peço aqui o seu apoio financeiro para tornar possível este sonho e também para juntos reafirmarmos  ao mundo o quanto a Arte é essencial para o bem-estar de qualquer sociedade.

Desde Abril, me vejo em uma saga infinita a procura por uma bolsa de estudos. Sim, existem muitas bolsas / empréstimos disponíveis para estudantes africanos, mas elas são basicamente orientadas para os tipos de cursos que respondem a Agenda de Desenvolvimento (Economia, petróleo e gás, saúde pública ...). Em outras palavras, o conceito de Desenvolvimento que envolve as relações políticas Ocidente-África-Ocidente não considera a Arte como uma área que vale a pena investir! Portanto, neste momento, tenho oficialmente menos de um mês - até 31 de Maio - para pagar o valor de € 22.116 pelos meus estudos. (Nota: O deadline foi extendido para 31 de Agosto)

Deste total exigido, são distribuímos da seguinte maneira:
- 10.770 para as propinas da Universidade ArtEZ para estudantes não Europeus 2020-2021. Devido a uma aplicação do governo, esse valor sofreu um aumento em 40%. Nós, como estudantes do DAI, estamos lutando contra o aumento das propinas para estudantes não Europeus e podes te manifestar contra essa medida assinando nossa petição aqui: http://chng.it/LVTDcnTvnT

- O valor de € 11.346 é para os custos de registro na Holanda e para o pedido de visto. Ele serve como uma garantia financeira necessária para provar ao sistema de migração que eu posso me sustentar financeiramente durante o próximo ano acadêmico!

AmigXs, estamos em 2020 e a educação ainda é um privilégio projetado para poucos. Com a intenção de estudar acabei por dar de caras com toda uma arquitetura de injustiça, onde tive que procurar extensivamente bolsas de estudos, de forma também extensiva tive de entrar em contacto com organizações que supostamente apoiam artistas / mulheres - até agora, algumas nem sequer responderam e outras me deram o tipo de respostas institucionais vazias. E então finalmente estou eu aqui quase 2 meses depois desenvolvendo as minhas habilidades de angariação de recursos! Bem, eu estou exausta!

Como africana, existe uma relação histórica com a idéia de ser "ajudadX" e isso vincula muitas camadas a este acto de criar uma campanha de angariação de fundos. A opressão nos faz sentir culpadxs por precisar de ajuda e não reproduzir o estereótipo torna-se uma preocupação enorme quando ao mesmo tempo me vejo realmente a precisar de apoio . Estar aqui agora a escrever para vocês e me vulnerabilizando nesse sentido toca simultaneamente as polaridades de trauma e cura, exaustão e alívio... Enfim, eu tive que lembrar-me de que o estereótipo surge porque, de fato, existe um projecto político de empobrecimento. Tive de lembrar-me de que eu não estou "incomodar" as pessoas porque sou pobre. Estou a questionar e a visibilizar estruturas opressivas que reproduzem a pobreza como um "castigo" para certos corpos e que de facto isso sim, incomoda. A riqueza global é injustamente distribuída e instituições educacionais de qualidade são projetadas para excluir corpos não brancos, não europeus, não masculinos e não heterossexuais.

Esta campanha de angariação de fundos passou por diferentes formatos/ estágios, de acordo com o meu desconforto de estar nessa posição. Em algum momento, eu até estava pedindo estas contribuiçōes como empréstimos e prometi reembolsar qualquer (Pessoa / Instituição) que me confiasse estes empréstimos. Mas hoje volto atrás com essa promessa porque aceito que como todas as pessoas, mereço estudar e relaxar. Não quero me colocar em uma situação em que para além de estudar, teria de obrigatóriamente de trabalhar duro para pagar à todos. SIM! Eu mereço descansar, meu corpo negro e feminino merece isso. E eu já forcei mais do que o suficiente meus limites físicos e emocionais nesta jornada mas já fui longe demais para desistir agora, eu tive o meu talento e potencial comprovados através do processo de admissão portanto, não é aceitável perder essa oportunidade por razões financeiras.  

Então, Por favor apoie apenas se você acredita nessa causa e quer lutar ao meu lado por este direito. Conto com todos vocês para que isso aconteça! Lamento enviar esse pedido no contexto global atual, mas simplesmente não posso adiar esta oportunidade. E, por favor, esteja ciente de que qualquer quantia é valiosa.

Por fim, gostaria de agradecer profundamente a todos os amigXs de Moçambique além fronteiras que me tem apoiado imensamente nesse processo difícil mas também bonito! Não posso nomear todos vocês, mas, vocês sabem, muito, muito amor! Também quero agradecer às organizações que pelo menos responderam meus e-mails especialmente ao pessoal do programa DAI que tem participado activamente nessa jornada.

PS: esta campanha está hospedada em uma conta bancária na Suíça.

Atenciosamente,
Marilú Mapengo Námoda

26/05/2020
Maputo, Moçambique

Foto: Caroline Lima

Donations

 See top
  • Jean Berthoud 
    • CHF200 
    • 11 d
  • Marcio Veloso 
    • CHF20 
    • 1 mo
  • Teresa Distelberger 
    • CHF100 
    • 1 mo
  • Yara Veloso 
    • CHF30 
    • 1 mo
  • Yolande Zola Zoli van der Heide 
    • CHF323 
    • 1 mo
See all

Organizer

Marilu Mapengo Namoda 
Organizer
Tolvsrød, 7, Norway
  • #1 fundraising platform

    People have raised more money on GoFundMe than anywhere else. Learn more

  • GoFundMe Guarantee

    In the rare case that something isn’t right, we will refund your donation. Learn more

  • Expert advice, 24/7

    Contact us with your questions and we’ll answer, day or night. Learn more