Uma cadeira elevatória para eu entrar em casa

€4,250 of €10,000 goal

Raised by 79 people in 25 days
Created July 25, 2019
Ulika e Maria
Chamo-me Ulika. Sou uma Angolana Lisboeta em Portugal. Vim para Portugal tinha 15, 16 meses. A minha primeira casa foi neste bairro de Santa Maria de Belém. Vivi 2 meses na Rua do Embaixador sem nunca ter podido habitar a casa. Fui para a Madragoa. Tentei comprar a casa e fui a todos os Bancos, bati a todas as portas e todas se me fecharam, não pelos Bancos, mas pelas Seguradoras.
Então voltei para  Santa Maria de Belém. Eu Sou uma Mulher, uma Profissional de Comunicação, uma Nadadora Amadora, uma doente de Drepanocitose SS também designada por Anemia de Células Falciformes. O nome consegue ser mais bonito que a doença. Que é genética. Africana. Negra. Escrava. Os falantes de inglês denominam-na por células em lua em quarto minguante, as sickle sells como podes ver nesta reportagem da CBS  que torna o sangue mais espesso de modo a que o mosquito da Malária não pique. Esta foi a forma como o corpo humano do negro Africano reagiu para se defender dos males da escravatura, tornando-se mais fortes e mais resistentes ao trabalho forçado e às longas horas ao Sol.
A doença é hereditária e as Ulikas da vida foram buscar as células falciformes do pai e da mãe, ficando assim comprometida a tarefa de levar o oxigénio para os pulmões, pois estes atropelavam-se, entupiam os vasos sanguíneos e não deixavam passar o sangue que não conseguia fazer o seu trabalho: transportar o oxigénio para os pulmões e o dioxido de carbono para o resto do corpo. Nisto causavam dolorosas tromboses, deixando de ter a capacidade de serem ágeis para, ao invés, asfixiarem os vasos sanguíneos criando crises vasoclusivas que, aos poucos, vão enfraquecendo o esqueleto, criam debilidade, cansaço, fadiga, dor crónica, incapacidade de permanecer em locais de maior altitude, em zonas costeiras onde o grau de humidade é maior, em zonas onde as temperaturas são ou muito frias ou muito quentes. O maior dos temores é a tendência para o doente fazer AVC precoces ou embolias cerebrais. Não viverei muito, mas ambiciono viver trabalhando, produzindo, esforçando-me, criando, formando-me e informando-me.
E se a doença não me deixa fazer esforços, pois eu toda a vida me esforcei. Na escola fugia do hospital para ir fazer os testes, saí directamente da Prova de Aferição para a ambulância, mas não deixei de fazer a prova. Tive 86%.No trabalho, ia à noite para o hospital de onde saía contra parecer médico para ir trabalhar. Nada me foi dado. Tenho 30 anos de Santa Maria. Escrevo-vos do alto destas minhas escadas, por dentro desta cinta lombar para vos pedir que me ajudem a ficar aqui, com o terço que o meu tio Lázaro Trovoada me trouxe da Palestina e o carinho com que a minha titi Julieta me ensinou a rezar.
Aos Angolanos Lisboetas, aos Transmontanos Lisboetas, aos Goeses Lisboetas, aos Minhotos Lisboetas, aos Alentejanos Lisboetas, aos Trispeiros Lisboetas, aos Parisienses Lisboetas, aos Europeus, Africanos, Americanos, Asiáticos e cidadãos do Mundo em Lisboetas e, obviamente, aos Lisboetas de Portugal e do Mundo:Veja o vídeo @ucadeiraelevatória e... Por favor, ajudem-me!
40882854_1564093288746560_r.jpeg
+ Read More
Creio que fui clara, pedi solidariedade e não pena.
Aos poucos os vossos donativos vão sendo transferidos da GoFundMe para uma conta em meu nome.
Automaticamente, a gestora retira os valores transferidos para conta à ordem e coloca-os numa conta a prazo constituída só com a finalidade de receber os vossos donativos.
De uma coisa podem estar certos, porque o que está em causa é a Cadeira Elevatória, nada é mais tão importante do que garantir que os vossos donativos servem o fim que vos foi apresentado.
Eu sei e sempre soube gerir a minha vida. Os doentes não são menos aptos ou iletrados
.‍☎️️️+351 965 387 816
+ Read More
Bem sei que é altura de férias, de descanso, de ir a banhos, de esquecer as más notícias e lembrar as boas mas... Por favor não se esqueçam de mim
.‍☎️️️+351 965 387 816
+ Read More
Como se trata a Drepanocitose?

A realização de um transplante de medula óssea poderia, potencialmente, curar a doença. Contudo, trata-se de um procedimento complexo e com riscos significativos e, por esse facto, não é feito como rotina.
O tratamento da drepanocitose tem como objetivo evitar as crises dolorosas, aliviar os sintomas e prevenir as complicações da doença.
É importante uma vigilância regular para se medirem os níveis de glóbulos vermelhos e para se avaliar o estado geral de saúde.
Os tratamentos podem passar pelo uso de analgésicos, transfusões sanguíneas ou, se necessário, pelo suporte de oxigénio.
O uso de antibióticos é importante tanto na prevenção como no tratamento de infeções, muito comuns nesta doença, como se referiu.
As vacinas são igualmente importantes como forma de prevenção de infeções.
A hidroxiureia reduz a frequência das crises dolorosas e pode reduzir a necessidade de transfusões sanguíneas.
Outros tratamentos dependerão da evolução clínica e deverão ser ponderados caso a caso.
Para a drepanocitose existe uma série de tratamentos experimentais, como a terapêutica genética e novos fármacos, que poderão corrigir o defeito genético que causa a doença, no primeiro caso, ou melhorar a circulação e o transporte de oxigénio aos tecidos, no segundo.
A ingestão de suplementos de ácido fólico, a manutenção de uma dieta saudável, a ingestão de bastantes líquidos, são aspetos igualmente úteis.
É importante evitar temperaturas extremas, fazer exercício físico regular mas sem excessos, e utilizar com ponderação medicamentos de venda livre, como os vasoconstritores nasais, que podem dificultar ainda mais a circulação sanguínea.
Em caso de viagens a locais situados em altitudes elevadas, é importante avaliar previamente com o médico para se determinar a necessidade de suplementação de oxigénio.
Fonte: CUF Hospitais
.‍☎️️️+351 965 387 816
+ Read More
O melhor que a minha doença é ter como Meu Médico Hematologista o Professor Dr. João Mascarenhas Forjaz Lacerda. Chorei muito quando ele me disse que não podia vir ao programa comigo. É o maior crime e a maior maldade retirarem o meu médico de há 30 anos de mim. O meu médico nunca me atendeu nem a troco de dinheiro, nem a troco de prendas, muito menos a troco de consultas em Clínicas Privadas. Sempre recusou. Sempre pensou mais na causa do que nele.

No outro dia levei-lhe umas rosas brancas pois fui má para ele e ele é o meu tutor, assinámos o testamento vital e ele é, efectivamente, um dos bens mais preciosos da minha vida. Quando lhe deixei as rosas brancas o meu médico respondeu: «O que é isto Ulika? Eu não preciso de prendas para atender os meus doentes.» Acho que sorri por dentro e pensei: «Se o Verdadeiro PROFESSOR João Lacerda Pai estivesse aqui iria ficar tão orgulhoso no Meu Médico.» Nunca me arrependerei dos dois anos em que ele foi para o estrangeiro fazer os estudos e eu esperei por ele. Quando ele regressou e a minha Sandra disse-me que estava de volta não hesitei. Fiquei tão feliz que disse logo «Quero voltar a ser doente do Dr. Lacerda.» Dois anos depois já era Professor e quando lhe perguntei como queria que o tratasse, respondeu: «Tratas-me como quiseres.» A provar que a educação começa em casa, passa pela rua e sabermos estar no meio dos outros, continua pela escola numa importante tarefa de gerir conhecimento, prolonga-se pela universidade se tal for necessário e constrói-se todos os dias num outro patamar: o patamar da Ética e da Doutrina Social da Igreja onde só chega quem conseguiu perceber a importância de todas as outras etapas.

Eu fui injusta com ele faz umas semanas. Sim, cheguei a ser mal-educada. Quando dei por mim chorei e saí a correr de onde estava para lhe oferecer duas rosas brancas. Não tinha consulta marcada, não era dia de ele me atender, falei com a administrativa que só me disse admirada: «Ele diz que desce já». E desceu. Não me deixou 2 horas à espera como já me aconteceu com outros médicos, debaixo do ar condicionado a apanhar frio, até eu ter que desistir da consulta e ir-me embora.

O Meu Médico Hematologista Dr. João Mascarenhas Forjaz Lacerda é assim. Um Homem que nunca se deixará misturar com os porcos, muito menos triunfar com eles. E por mais que o Serviço de Hematologia em peso me queira separar dele não vai conseguir porque foi no dia em que pior o tratei sem ele merecer que ouvi da boca dele «Ulika, eu não sou só teu médico. Sou teu amigo». Eu sempre soube, ou não teria voltado atrás em lágrimas, desmarcado tudo e correr para lhe entregar duas rosas. Porque a relação médico-doente tem esta base de carinho e respeito que temos de alimentar como se fosse um casamento. E num casamento saudável não são precisa segundas opiniões. Desde o dia em que ele se tornou Meu Médico até hoje, eu nunca precisei de consultar outro Hematologista. Basta-me o Meu Médico Professor Dr. João Mascarenhas Forjaz Lacerda. Por isso chorei muito por ele não ter estado, ontem, ali, ao pé de mim.
.‍☎️️️+351 965 387 816
+ Read More
Read a Previous Update
Be the first to leave a comment on this campaign.

€4,250 of €10,000 goal

Raised by 79 people in 25 days
Created July 25, 2019
Ulika e Maria
Your share could be bringing in donations. Sign in to track your impact.
   Connect
We will never post without your permission.
In the future, we'll let you know if your sharing brings in any donations.
We weren't able to connect your Facebook account. Please try again later.
€5
Anonymous
1 day ago
€1,000
Anonymous
3 days ago
€25
Anonymous
5 days ago
€50
Anonymous
5 days ago
€20
Anonymous
7 days ago
€20
Anonymous
7 days ago
€20
Anonymous
7 days ago
€5
Anonymous
7 days ago
€50
Anonymous
7 days ago
€75
Anonymous
7 days ago
Be the first to leave a comment on this campaign.
or
Use My Email Address
By continuing, you agree with the GoFundMe
terms and privacy policy
There's an issue with this Campaign Organizer's account. Our team has contacted them with the solution! Please ask them to sign in to GoFundMe and check their account. Return to Campaign

Are you ready for the next step?
Even a €5 donation can help!
Donate Now Not now
Connect on Facebook to keep track of how many donations your share brings.
We will never post on Facebook without your permission.